Elementos naturais em escritórios aumentam a produtividade

Os resultados de uma pesquisa, realizada a 7.600 empregados em 16 países, encabeçada por Sir Cary Cooper, professor de Psicologia das Organizações e da Saúde da Universidade de Lancaster e cofundador da Robertson-Cooper, reforçam a defesa da biofilia no local de trabalho.

De acordo com a pesquisa, os locais de trabalho que incorporam elementos naturais em sua decoração e desenho de pisos, tais como o verde e a luz solar, apresentam níveis de produtividade 6% mais altos que os escritórios sem estes elementos.

Investimento em produtividade

O aumento da produtividade se traduz em cifras atraentes. De acordo com um exemplo do relatório de Cooper, ainda que possa custar em torno de $1.000 USD mudar a posição de um escritório para que a visão periférica inclua vista para uma janela, o aumento resultante de 6% na produtividade é equivalente a $3.000 USD em retorno de investimento.

Trabalhadores em escritórios com elementos naturais tais como vegetação e iluminação natural relatam 15% mais bem-estar.

Os trabalhadores confirmam o estudo

Embora estes elementos favoreçam o desempenho, somente 42% dos trabalhadores entrevistados referirão ter plantas vivas em seus escritórios e 47% informou não ter iluminação natural. Os escritórios são intrinsecamente contrários à nossa natureza. Os trabalhadores do estudo de Robertson-Cooper relataram 15% de aumento em criatividade e em nível de bem-estar quando se trabalha em áreas com elementos naturais, dois elementos associados com a satisfação e o compromisso no trabalho.

Os países incluídos na pesquisa se encontram em diferentes etapas da urbanização, e embora algumas pessoas prefiram desenho de pisos verdes e outras simulações de lagos de água azul, o desejo de levar o ambiente externo ao lugar de trabalho e os aumentos correspondentes à produtividade, a criatividade e o bem-estar são universais.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Restauração artística

22 Maio, 2016

Em outubro passado, durante o primeiro fim de semana do Chicago Architecture Biennial, o artista e ativista social Theaster Gates, revelou o seu mais recente empreendimento: o Stony Island Arts Bank. O projeto altamente alardeado envolveu a conversão de um edifício de banco abandonado na zona sul da cidade em um local público cultural, repleto…