Bem-estar no “Novo Normal” por meio do design biofílico

O mundo está mudando rapidamente. Estamos vendo cada vez mais o crescimento de uma cultura de inquietação, aumento do estresse e elevados níveis de ansiedade. Em um mundo com a COVID-19, o estresse parece ainda mais presente do que nunca.

Ao avaliarmos as opções para retornarmos aos espaços públicos, é fundamental que saúde e bem-estar sejam considerados. Obviamente, o objetivo neste caso é minimizar o contato e proteger a saúde respiratória. Mas é fundamental também apoiarmos uns aos outros, utilizando intervenções que promovam nosso bem-estar emocional.

Explorar ambientes naturais permite que possamos nos reconectar com a essência da biofilia.

A necessidade essencial da biofilia

Com a incorporação de estratégias para promover o distanciamento social, torna-se mais essencial do que nunca promover uma sensação de segurança e apoiar o bem-estar holístico das pessoas – independentemente do escopo do projeto.

Uma abordagem baseada em pesquisas que apoia essas necessidades é o design biofílico. Como todos nós estamos vivenciando um estado de constante mudança, é fundamental que consigamos integrar os benefícios de nossos ambientes naturais aos construídos.

Como afirma Sonja Bochart, designer de interiores, consultora líder em design biofílico na Lens Strategy e diretora na Shepley Bulfinch:

“Este é um momento crítico e oportuno para considerarmos até os gestos mais simples e o poder da natureza na promoção de uma sensação de calma para as pessoas dentro de nossos edifícios. Nos últimos meses, muitas pessoas se reconectaram à natureza – em nossos jardins, ruas e casas. Nós nos reconectamos com o nosso próprio amor pela vida. Se trouxermos as pessoas de volta para ambientes que não representam isso – para aqueles que valorizam conforto, segurança e bem-estar – estaremos perdendo uma oportunidade poderosa de apoiar o melhor em nossos clientes, quando eles mais precisam.”

É essencial iniciarmos essa conversa sobre a incorporação da biofilia em nossos projetos.

Workshops virtuais, codesign ou sessões de investigação fornecem flexibilidade enquanto promovem o engajamento seguro e diversificado da equipe.

Usando diversidade e uma estrutura integrada

Sabemos que integrar a biofilia em nossos espaços não só impacta positivamente o bem-estar e a produtividade, mas também oferece benefícios na saúde financeira de uma organização. Como podemos incorporar a biofilia com sucesso em nossos projetos?

Para começar, uma abordagem colaborativa, inclusiva e integrativa é essencial para o sucesso geral.

 Sonja Bochart compartilha:

Este processo é mais poderoso quando envolve diversas partes interessadas de todas as áreas do projeto, desde o proprietário até a equipe de design, o usuário final e os membros da comunidade. Um projeto de sucesso tem a abordagem colaborativa desde seu início e continua presente ao longo de todo o projeto.”

Por exemplo, uma estrutura de design biofílico incorporada ao projeto desde o início até a pós-ocupação pode incluir:

  • Conversas com diversos membros de um projeto buscando identificar a essência do senso de pertencimento
  • Envolvimento com os diversos membros da comunidade em torno do local do projeto
  • Workshops virtuais ou presenciais de cocriação de design biofílico
  • Investigação no local do projeto para compreender e extrair seu significado cultural e histórico
  • Sessões de design colaborativo integrando design biofílico e envolvendo equipes diversas e membros da comunidade
  • Abordagens de engajamento, como pesquisas que permitem a exploração de percepções mais amplas das partes interessadas ao longo do processo
  • Comunicação transparente e aberta sobre como os principais insights obtidos a partir das estratégias de engajamento foram impulsionadores para a solução de design ao longo do projeto

A estrutura específica pode variar para corresponder às necessidades específicas do projeto e do cliente. Mas uma coisa está sempre presente: quando incorporado com sucesso, o design biofílico vai muito além da aplicação de vegetação e materiais naturais, se concentra em capturar a essência e o espírito das pessoas e do local do projeto.

Envolva um grupo de pessoas em todas as fases do processo para obter sucesso.

Ajustando o processo para atender às diversas necessidades do projeto

Um benefício desta abordagem inclusiva é que ela se ajusta a diversos escopos e escalas para se alinhar diretamente com as necessidades do projeto. Por exemplo, novos projetos de construção podem considerar mais tempo para a realização de workshops do que para a fase de desenvolvimento.

Para um projeto de rápida reforma de atualização – como aqueles que correspondem às necessidades relacionadas à COVID – o melhor suporte pode estar em conversas conduzidas por especialistas. Essas discussões se concentrariam em descobrir os fatores em comum para incorporar a biofilia e compreender seus benefícios ao longo do projeto.

Independentemente da abordagem, é fundamental reforçar a intenção, a diversidade e a inclusão no desenvolvimento do processo.

Exemplo de sessão colaborativa presencial de design biofílico (visitar o local do projeto não era uma opção no momento).

Considerações para a abordagem

As estratégias de maior apoio exigem a inclusão de uma pessoa para liderar, cocriar e orientar a equipe sobre a integração bem-sucedida da biofilia em todos os estágios do projeto. Conversas interdisciplinares que buscam captar a essência do espírito do lugar continuam sendo outra necessidade essencial no processo.

  • Considerar questões específicas do projeto, culturais e das partes interessadas; que estas estejam à vontade para convidar um amplo grupo de pessoas para participar.
  • Perguntas como “O que há de especial na história deste site e de seu público?” ou “Qual é a essência do senso de pertencimento para sua organização e sua cultura?” podem oferecer profundas reflexões sobre os princípios e padrões que apoiam o sucesso geral de um projeto.

Todos nós processamos ideias de maneira diferente. Portanto, é essencial oferecer tempo suficiente para reflexão após o engajamento em grupo e criar uma maneira para que as pessoas possam compartilhar suas percepções individuais, além da conversa inicial.

Considere ferramentas, como pesquisas digitais, para extrair reflexões mais profundas e integrar e sintetizar as descobertas que serão direcionadoras de seu projeto.

Exemplo de uma sessão colaborativo de design cocriativo integrando estratégias de design biofílico.

Um processo contínuo de integração

Todos nós estamos constantemente crescendo e evoluindo como indivíduos, membros da comunidade, designers e profissionais. Vamos dar início a essa conversa. Incorporar perguntas ao longo do processo que buscam entender a essência e o espírito do lugar já representam um começo poderoso.

Embora nosso mundo em constante mudança possa gerar muitas incertezas, uma coisa permanece a mesma: nossas construções têm um impacto direto em nosso bem-estar psicológico, biológico e sociológico.

Devemos iniciar a conversa sobre biofilia e darmos continuidade ao longo de nossos projetos. Sabemos que a integração bem-sucedida da biofilia vai muito além de listas e vegetação. Adotar uma abordagem holística inclusiva ajuda a garantir que estamos apoiando as pessoas incríveis que passam o tempo nos espaços que temos a honra de criar com elas todos os dias.

 

Imagem de cabeçalho © 2018 Eric Laignel 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Design biofílico – bom para você, bom para os negócios

19 Fevereiro, 2020

Quase 90% das nossas vidas são vividas no interior de ambientes construídos. Talvez não tão surpreendente quanto isso, mas até um terço desse tempo pode ser passado no interior dos nossos locais de trabalho.

Ficou assustado? Podemos encontrar algumas notícias mais otimistas, que relacionam o design dos nossos ambientes construídos aos impactos que podem causar no nosso bem-estar. Em um número crescente de casos, ambientes que apresentam um Design Biofílico podem até otimizar a produtividade dos funcionários e proporcionar um retorno desse investimento para as organizações no futuro.