Projetando para GenNow, Parte 2

Nota do Editor: Esta é a segunda parte de nosso artigo original sobre GenNow, que explora como as Gerações Y e Z – em conjunto com os eventos que os moldaram – influenciarão nossos espaços nos próximos anos.

Em nossa primeira parte deste artigo nós descrevemos quatro fatores que impactarão para sempre as gerações Millennial e Z. Especificamente, examinamos as experiências compartilhadas das duas gerações, mudanças climáticas, influência tecnológica e eventos atuais de 2020 e como eles deixaram e continuarão a deixar um impacto relevante. Mas como isso se relaciona com o nosso trabalho como designers e arquitetos?

Bem antes do início do processo de design esquemático, a primeira etapa é dar corpo aos paradigmas, comportamentos e valores geracionais para focar na visão compartilhada de um espaço. Nesta segunda parte do nosso artigo sobre GenNow, vamos utilizar esta pesquisa para entender o design de interiores em espaços atuais e futuros: onde trabalhamos, moramos e aprendemos. E então vamos pensar nas implicações para o design na próxima década e como podemos refletir – e representar – GenNow no espaço construído.

Saúde, segurança e bem-estar em todos os espaços

Em resposta imediata à pandemia e ao movimento Black Lives Matter, os designers têm um imenso desafio pela frente: projetar locais de trabalho onde a saúde, o bem-estar e a segurança sejam tão naturais que esses elementos se tornem invisíveis. Uma fase de planejamento robusta é essencial.

O impacto da COVID-19 nos espaços interiores coloca os elementos de design “invisíveis” em primeiro plano, examina a importância de cada um ao lado do visível e impõe a necessidade de adotar uma abordagem centrada no ser humano que considere a saúde, a segurança e o bem-estar das pessoas em outro patamar. Estamos vendo uma comprovação adicional de que o design de interiores é interdisciplinar e a colaboração com outras disciplinas é decisiva na criação de ambientes melhores para as pessoas.

Susan Chung, Ph.D, Diretora de Pesquisa e Conhecimento da ASID, sugere: “Em vez da pessoa se adaptar ao ambiente, o ambiente se adapta à pessoa”.

E já estamos vendo uma reação da indústria. O International Well Building Institute tem mantido extensas conversas virtuais sobre nossa saúde, segurança e bem-estar em nossos espaços. Depois de um trabalho de força-tarefa rigoroso, rápido e dedicado, o IWBI criou o WELL Health-Safety Rating (Classificação de Saúde e Segurança WELL) para Operações e Gestão de Instalações, uma classificação verificada por terceiros baseada em evidências com foco em políticas operacionais, protocolos de limpeza e estratégias de design para abordar um ambiente pós-COVID-19.

Mas também devemos estar cientes de como o design pode também promover a igualdade racial.

Joseph Cephas é o Vice-presidente sênior da Novita Communications e gerencia as comunicações de mídia da ASID. Ele continua fortemente envolvido na indústria como um defensor da conversa sobre diversidade, equidade e inclusão. Sua perspectiva sobre a conversa atual e futura da indústria é:

Arquitetos e designers sempre desempenham papéis significativos em emergências de saúde pública. Quando o país se reabrir após a pandemia da COVID-19, as pessoas vão recorrer a designers para definir o novo normal. Como líderes, esses mesmos designers devem repensar sobre qual é o seu papel em resposta ao racismo sistêmico.

A diversidade de pensamentos no local de trabalho gera resultados melhores. À medida em que as empresas se diversificam, isso afetará os interiores de maneira positiva. Designers desempenham um papel único em impactar vidas. Eles não projetam um espaço pelo simples fato de projetá-lo – eles se concentram nas pessoas que ocuparão o espaço. Por muito tempo, os negros foram uma reflexão tardia ou evidentemente discriminados quando os espaços eram projetados.”

Considerando que a Geração Z é a geração com maior diversidade étnica de todos os tempos, esse tipo de pensamento se tornará ainda mais presente. E à medida em que esse grupo se torna uma porcentagem maior da força de trabalho, será essencial que os designers defendam as causas sociais com integridade e transparência, bem como mais diversidade na indústria.

Trabalho

De acordo com um recente estudo, cerca de 14,6% da força de trabalho estava trabalhando em  casa antes de março de 2020. Na primeira semana após o fechamento decorrente da COVID-19, 34% da força de trabalho passou a trabalhar remotamente. Portanto, durante o período de fechamentos obrigatórios estaduais e locais, quase 50% da força de trabalho estava trabalhando em casa. Kate Lister, presidente da Global Workplace Analytics, estima que de 25% a 30% da força de trabalho trabalhará em casa vários dias por semana até o final de 2021.

O home office está pronto para um cuidadoso redesenho. O design residencial foi um motivador para o design do local de trabalho na década anterior. Agora é o local de trabalho que terá grande influência na residência, como móveis ergonômicos e / ou ativos. O planejamento acústico cauteloso será fundamental para facilitar as comunicações virtuais, e haverá um grande interesse em estratégias sólidas tanto no local de trabalho presencial quanto remoto.

Projeto: ASID HQ – Empresa: Perkins + Will DC Office – Créditos das fotos: Eric Laignel

Projeto: ASID HQ – Empresa: Perkins + Will DC Office – Créditos das fotos: Eric Laignel

Projeto: ASID HQ – Empresa: Perkins + Will DC Office – Créditos das fotos: Eric Laignel

Ao mesmo tempo, a GenNow está ansiosa pelo senso de cooperação, orientação e criatividade que só estar junto pessoalmente pode trazer. E a colaboração é campeã em diversos pontos de vista. Enquanto isso um fortalecimento no design do local de trabalho, espaços de colaboração e de conferência tomarão espaço do que antes era um escritório aberto.

Soluções de curto prazo, como divisórias acústicas limpáveis ​​​​e espaçamento de 2 metros entre as estações se tornarão o novo normal.

A longo prazo, à medida em que as duas gerações assumem cargos de liderança em meados de 2025 e adiante, a necessidade de escritórios e estações de trabalho estáticos será substituída por escritórios em casa ou remotos dedicados a tarefas? É possível que várias empresas compartilhem o mesmo espaço, alternando dias da semana e horários? Em vez de ir para a sede de uma empresa para trabalhar, prevê-se que a GenNow irá para as instalações de conexão de uma empresa para se conectar.

Estadia

A ideia de compartilhar uma casa não é nova em muitos países e culturas. A economia de compartilhar a casa na indústria da hospitalidade é.

Em julho, o Airbnb retomou seus esforços para abrir o capital, apesar dos danos significativos ao negócio de aluguel de casas causados ​​pela pandemia do novo coronavírus. A empresa estima que, desde sua fundação em 2008, seu impacto econômico é de US$ 100 bilhões em 30 países.

Os hotéis da indústria estão notando. Ian Schrager, por exemplo, abriu seu último hotel no bairro de Bowery em Nova York, o Public Hotel, em resposta direta ao surgimento da marca de viagens compartilhadas. No Public Hotel, os quartos são pequenos, com tecnologia integrada. Dois restaurantes e um espaço flexível para eventos são dedicados a experiências culturais autênticas, como dança e teatro.

Imagens cortesia de Gensler Atlanta

Imagens cortesia de Gensler Atlanta

Imagens cortesia de Gensler Atlanta

Imagens cortesia de Gensler Atlanta

Cristi Moore, associada sênior e diretora de design Hospitality, na Gensler Atlanta, nos diz que o design da GenNow também está sendo influenciado pelos próprios designers.

Os designers da GenNow são apaixonados por todas as disciplinas e não se isolam em uma única área de prática ou conjunto de habilidades. Nossa equipe de hotelaria consiste em talentos que abrangem uma infinidade de áreas de atuação, há aqueles com experiência em varejo, local de trabalho, marca, edifícios de escritórios comerciais, multifamiliares / residenciais e muito mais. Essa experiência diversa permite que eles vejam a hospitalidade de uma perspectiva diferente – resultando em ideias e soluções de design novas e inesperadas. Esta polinização cruzada realmente extrapola os limites entre as áreas de prática – trata-se de proporcionar experiências de estilo de vida por meio do design

Moore faz referência ao recém-concluído Reverb by Hard Rock como uma ilustração de design que une pessoas com uma paixão comum, promovendo conectividade e autoexpressão. Moore antecipa que os hóspedes buscarão experiências diferentes ao retornar às hospitalidades. Como passaram algum tempo isolados, os clientes procurarão mais do que uma estadia em um hotel com um restaurante de luxo.

Steffany Hollingsworth, Fundadora do PARE, prevê que os espaços com acesso à ventilação natural e facilidade de “nooking” (relaxar / descansar) e espaços para e circulação serão os mais favoráveis ​​à experiência dos hóspedes e ao desejo de patrocinar um estabelecimento. Espaços volumosos (versus os mais reduzidos) que se abrem para o fluxo de ar externo transmitem uma maior sensação de conforto e segurança para saúde e segurança.

A tecnologia desempenhará um papel cada vez maior no fornecimento de facilidade transacional e experiencial de alto nível. Hollingsworth vê uma razão pela busca por diferentes modos de prestação de serviços para restaurantes, como food trucks e espaços para refeições ao ar livre criados em estacionamentos. Serviços que antes não exploravam uma experiência de jantar / socialização ao ar livre agora buscarão todas as oportunidades para oferecer isso a seus clientes.

Aprendizado

A sala de aula não está mais relacionada apenas a uma sala de aula. Estudos descobriram que crianças em idade pré-escolar se beneficiam de experiências imersivas, como jardinagem ao ar livre e exploração de mídia no ateliê de um artista.

Tamie Glass, ASID, IIDA e Professora Associada da Universidade do Texas em Austin diz que seus alunos dão mais importância ao engajamento social, originalidade e experiência.

“Em nosso mundo altamente digital e dirigido por imagens, os alunos de design percebem que as pessoas desejam experiências físicas e locais que sejam ricas em termos sensoriais e promovam o envolvimento e a interação social. Ao criar conceitos, eles devem ir além do que encontram no Pinterest. Eles também reconhecem a dificuldade entre projetar o momento instatável perfeito e fornecer uma resposta holística e centrada no ser humano ao programa. Por último, eles percebem que a integração da tecnologia dentro dos espaços físicos é esperada – hoje, ela está completamente interligada ao serviço e à experiência do usuário.

Empresa: CannonDesign conduziu arquitetura + design em associação com EDA Architects – Créditos das fotos: Tim Hursley

Empresa: CannonDesign conduziu arquitetura + design em associação com EDA Architects – Créditos das fotos: Tim Hursley

Empresa: CannonDesign conduziu arquitetura + design em associação com EDA Architects – Créditos das fotos: Tim Hursley

Empresa: CannonDesign conduziu arquitetura + design em associação com EDA Architects – Créditos das fotos: Tim Hursley

Tecnologia e experiências integradas continuarão dominando os espaços educacionais por um bom tempo. Neste outono, a Universidade do Texas oferecerá 20% dos cursos online – mais de 2.100 cursos. Seguindo um plano da Universidade de Notre Dame, muitas instituições estão abrindo mais cedo com o fim do semestre ou mudando para online após o Dia de Ação de Graças. E talvez haja uma oportunidade pós-pandemia de reduzir o custo da faculdade, mudando para um programa híbrido.

O Lassonde Entrepreneur Institute da University of Utah é um bom exemplo de como as instituições estão recebendo a GenNow no ensino superior.

Juntos, CannonDesign (Arquitetura), EDA Architects (Arquitetura e Design) e a Universidade de Utah (Clientes, Visionários e Pesquisadores) concluíram o projeto vencedor dos prêmios LEED Gold e ASID Outcome of Design. Buscando acelerar e expandir seu impacto, a universidade reconheceu a necessidade de criar um tipo inteiramente novo de instalação de aprendizagem para um novo modelo de aprendizagem empreendedora que pudesse conectar melhor os alunos uns aos outros, a ideias ousadas e a novos e estimulantes futuros. O Lassonde Studios foi inaugurado em agosto de 2016 e abriga quatro andares de espaço residencial no topo de um espaço de 1.860 metros quadrados de construção, ou “garagem”. Alunos de 35 diferentes cursos em vários níveis de ensino vivem e se conectam no prédio, que foi criado em um esforço para promover a colaboração e a inovação.

Implicações Futuras

Em todas as vertentes do design, a GenNow vê a sustentabilidade como um must-have, inerente a qualquer bom espaço. O design ativo, a seleção de materiais saudáveis ​​e a iluminação circadiana aumentam a satisfação do usuário, a produtividade e o bem-estar. Materiais e acabamentos altamente táteis saciam a necessidade humana por interação entre as horas gastas em dispositivos e telas. O design biofílico é essencial para a experiência GenNow. O desejo é por uma natureza envolvente, com paredes e tetos envoltos em plantas, madeiras altamente granuladas e toques de cores ousadas.

Apesar disso, a tecnologia continuará a ser um impulsionador da inovação do design. O mundo tecnológico deu origem ao XR, ou a realidade estendida dos meios de realidade virtual, aumentada e mista. À medida em que alternamos do físico para o virtual, o jogo e a diversão são amplamente influenciados. Nos anos subsequentes, esse mundo lúdico de realidade estendida encontrará seu caminho para o design e a arquitetura?

No próximo capítulo de design, tecnologia e realidade aumentada continuarão a fortalecer nossa capacidade de comunicação local e global.

A consciência criada pelo movimento dos direitos civis e a pandemia se sobrepõem nos interiores. No mínimo, todos os habitantes de um espaço devem se sentir seguros e limpos. Quando a Americans with Disabilities Act (Lei dos Americanos com Deficiências) entrou em vigor em 1990, o objetivo era que os espaços se tornassem livres de barreiras. Agora, temos a oportunidade, como designers e arquitetos, de garantir que os esforços de saúde, segurança e bem-estar em um espaço sejam tão indispensáveis ​​que não sejam mais visíveis – para todos nós.

Esta plataforma está em harmonia com um design mais sustentável e a missão da indústria de construção de reduzir o carbono incorporado. O bem-estar dos seres humanos se torna a base para todo design de interiores e arquitetura na década de 2020. Se a saúde e o bem-estar humanos eram uma onda crescente no design de interiores, agora são uma realidade.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Design para GenNow

Com 56 milhões e 61 milhões, respectivamente, a geração Y e a geração Z compreendem as maiores populações da história dos Estados Unidos – conhecidas como GenNow. Saiba como GenNow está impactando os ambientes construídos onde trabalhamos, vivemos, moramos e nos divertimos