A Forma segue a função: como redefinir o espaço

No mundo atual da produtividade em alta velocidade, nossos dispositivos se tornaram assistentes pessoais, organizadores de calendários, diários de fotos de jantares de sexta à noite e uma fonte infinita de notícias.

Nosso mundo onde vivemos com as cabeças baixas, fones de ouvido, rolando a tela do celular é atraente às vezes, mas pode nos deixar privados de conexão significativa quando fora de equilíbrio. A verdade é que a tecnologia simplesmente não pode nos conectar da maneira física que nosso espaço pode. Essas conexões enriquecem a experiência humana de uma maneira que a tecnologia negligencia. Com isso em mente, considere criar espaços que permitam as duas facetas igualmente importantes – social e espontânea, bem como solidária e remota.

Aceite o intermediário

O escritório moderno desenvolveu essa abordagem em uma fórmula: espaço comum no centro, espaço de foco à margem, tudo protegido pela circulação. Estes espaços de trabalho altamente especializados atraem indivíduos com base em sua função ou humor. Com a nossa atenção ativamente atraída para grupos de estações de trabalho, escritórios privados e salas de conferência fechadas, é fácil ignorar os espaços intermediários. Mas dentro desses espaços passivos, há uma oportunidade de definir uma nova experiência no ambiente construído; aquela que promove a descoberta, exploração e reflexão.

Mas como isso é feito?

A cultura da empresa e as sugestões ambientais podem influenciar as seleções de acabamento e, quando alinhadas à arquitetura e à funcionalidade, esses acabamentos podem designar novos espaços dedicados ao contato. Essas escolhas funcionais têm a capacidade de inspirar colaboração, definir o espaço, promover a circulação, gerar momentos inesperados e criar mistério – todos destinados a cultivar nossa necessidade humana de conexão.

Como o plano mais original dentro do espaço construído, o piso tem um papel especial a desempenhar nesta abordagem de designs “a forma segue a função”. Estamos ligados à superfície através da gravidade e em um estado perpétuo de conexão. Essa interação permite que o chão se comunique com cada um de nós, melhorando a qualidade e a funcionalidade de um espaço. A modularidade é uma peça-chave para essa equação, permitindo que textura e cor to alterne entre as zonas. Através da descoberta de caminhos, podemos sentir mudanças táteis sob os pés, enquanto vemos cores e padrões evoluírem nas áreas que estão por vir.

Colaboração

Sejam fechadas, abertas ou espontâneas, áreas de colaboração destinam-se a nos fazer persistir tempo suficiente até que brilhantismo surja. Os pisos devem ser energizados pelo padrão e pela cor. Marcados com ênfases e tapetes de algodão, esses espaços são divertidos e imaginativos. Considere métodos de instalação dinâmicos em espinha de peixe para adicionar um pop extra à mistura de padrões coloridos.

Circulação

As áreas de circulação não estão aqui nem ali. Eles inspiram movimento e transcendência. Instalações angulares ou padrões com cores agrupadas podem implicar ação, gerar velocidade e criar espaços de colisão para conversas improvisadas. Junte produtos ou projete uma cadência constante de ênfases coloridas para imitar caminhos, passos e pisadas.

Introspecção

Tanto a conexão quanto a desconexão são importantes para equilibrar a energia no local de trabalho. O espaço de incubação adota uma abordagem neutra e suave. Texturas de algodão capturam o som e mantêm os espaços tranquilos, confortáveis e seguros  — perfeito para fones de ouvido, iluminação de realce pouco iluminada e nosso podcast favorito. Menos padrões e maior ênfase na textura criam uma experiência íntima que transcende a intensidade do espaço comunitário.

Novas abordagens para a tecnologia e o espaço construído estão criando espaços dinâmicos que nos libertam de nossos telefones e nos levam a nos conectar cara a cara. Esses ambientes selecionados intencionalmente iniciam interações programadas e não programadas espalhadas por todo o espaço de uso misto. Usando o piso as cores nas paredes, tecidos e móveis como pistas ambientais intuitivas, podemos nutrir momentos espontâneos entre humanos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Como a Tecnologia está Afetando o Design?

31 agosto, 2018

Mudanças acontecem depressa. Com a tecnologia, as mudanças acontecem ainda mais depressa. Nossos aparelhos se tornaram segundos membros, enraizados em cada faceta de nossas vidas. A tecnologia transformou nossa cultura global de maneiras que nunca poderíamos ter imaginado. Ela nos conecta. Torna nossas vidas mais simples. Por outro lado, também pode nos isolar e polarizar.…

Apresentando o Novo Escritório com Estilo Residencial

20 Abril, 2018

O design do escritório evoluiu rapidamente nas últimas décadas. Primeiro, eram escritórios particulares. Depois, vieram os cubículos, que levaram a estações de trabalho pequenas e individualizadas. A entrada da geração do milênio no mercado de trabalho – sufocada pela falta de espaço pessoal e pelo desejo de colaborar – provocou um movimento no design de…