Considerações para escolher o piso do escritório

A escolha do piso do escritório vai além de questões estéticas, especialmente se for uma corporação em que o fluxo de pessoas é um fator chave. Por isso, na hora de escolher o piso, primeiro você deve se perguntar: onde vamos utilizá-lo?

Por outro lado, é importante estabelecer com qual frequência será limpo, o quanto esperamos que dure, se ficará exposto à umidade, água ou sol. Isto nos ajudará a identificar o material ideal de acordo com seu uso. Uma vez que isto tenha ficado claro, é necessário considerar o seguinte:

Condições do contrapiso

A qualidade da nova instalação depende do contrapiso que está abaixo. Para obter melhores resultados o piso deve estar seco, livre de umidade, estável e nivelado, pois isto implicará na quantidade de obras e gastos.

Umidade e temperatura

No caso de chãos de madeira, laminados e flutuantes, é importante levar em consideração a umidade do ambiente para que a madeira não inche e se danifique. As mudanças de temperatura também afetam o movimento de contração e expansão dos materiais.

Tempo e modo de instalação

Um sistema de aderência sem cola pode levar um fim de semana para instalação e economizar em mão de obra. Outros métodos são mais complexos ou requerem instalação profissional. Leve em conta este detalhe antes de escolher.

Garantia

Para que a garantia tenha validade, o produto deve ser instalado conforme as indicações. Qualquer dano apresentado no piso poderá ser devido a uma falha de fabricação do produto e não de uma má colocação. Certifique-se de que o material comprado esteja garantido.

Carpete modular e pisos vinílicos os favoritos para uso corporativo

Os pisos vinílicos são uma excelente escolha para espaços corporativos porque o piso é mais resistente ao atrito e à grande circulação de pessoas, é seguro por ser antiderrapante e de fácil manutenção. Além disso, o piso vinílico oferece isolamento acústico, térmico e possui diversos modelos e cores para compor a decoração de um escritório.

Por outro lado, os carpetes modulares também são amplamente utilizados por sua variedade de cores e por ser um material mais reconfortante para as estações frias, e agradável em dias quentes, porque não transmitem calor. Assim como o piso vinílico, possuem isolamento acústico e o resultado estético é o grande diferencial, que o torna preferido para espaços corporativos.

A grande notícia é que se você não sabe qual material usar, não é necessário tomar uma decisão radical. Agora os carpetes modulares encontraram sua combinação perfeita: LVT, a coleção de piso vinílico da Interface.

interface-lanza-su-linea-de-piso-vinilico

A nova coleção LVT, inclui 36 pisos vinílicos que podem ser usados em qualquer espaço combinados com os carpetes modulares, criando um ambiente harmonioso e único. Esta compatibilidade permite aos clientes explorarem novas possibilidades de design, criando inovadoras texturas em todo tipo de aplicações e superfícies.

Por outro lado, os pisos vinílicos da Interface não requerem cola e possuem garantia de 15 anos. Além disso, contam com a certificação FloorScore® por suas baixíssimas emissões de VOCs.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Fazendo Arte com o Piso: Dentro da Mente de um Designer de Produto

27 Abril, 2018

¿Como um tapete vai da inspiração inicial ao produto real no chão? Sem surpresa, é um processo muito técnico. Como uma máquina afinada, o Designer de Produtos Globais Kari Pei e sua equipe recebem muitas informações e as traduzem em belos pisos. Mas não é tão fácil quanto parece. Primeiro Passo: Inspiração “Todo mundo pensa…

A Hospitalidade Chega ao Escritório

29 Março, 2018

Linhas borradas indicam que movimentos rápidos moldam a forma como vivemos, trabalhamos e nos divertimos. Uma dessas tendências é a influência da indústria da hospitalidade no design de escritórios corporativos. Ainda que a própria hospitalidade mude (por exemplo, recepções parecidas com salas de estar, foco no bem-estar, impacto do design biofílico, ênfase no regionalismo, etc.),…